Confira aqui o horário de funcionamento da loja física
De Segunda a sábado das 7:30h às 20:30h
Dúvidas? Fale conosco: (11) 3897-5042 lojavirtual@santaluzia.com.br
voltar
  • Seu carrinho está vazio :(
departamentos
Passe o mouse em cima da imagem para ampliá-la.

Vinho Branco Mâcon-Igé Château London 750ml

Por: R$ 244,00

Preço a vista: R$ 244,00

Cód:
738956
Marca:
Este Chardonnay tem nuances douradas no vidro. Há uma agradável complexidade no nariz com aromas de frutas amarelas maduras, cítricas e rosa branca. Este vinho é limpo e fresco na boca, com boa acidez.
1
Comprar
Entrega

Entregamos para
todo o Brasil

Headset

Conte com o nosso
atendimento personalizado

Medalha

95 anos de tradição
entregando qualidade

Informações do produto

Especificações

Informações

País: França


Região: Borgonha


Teor alcoólico: 12,5%


Uvas: Chardonnay


Tipo: Branco


Este vinho é de Igé, uma das principais aldeias de Mâconnais. Château London é o vinhedo específico ou 'lieu-dit' das uvas. A idade da videira é de aproximadamente 20 anos e o rendimento é de 7.000 videiras por hectare. As videiras são treinadas por Guyot a uma altura de 1,3 metros, para garantir exposição suficiente à fotossíntese. Os solos são pedregosos e argilosos, com uma alta proporção de giz. A uva é um clone de Chardonnay, Chardonnay-Muscaté, que dá a estrutura típica, equilíbrio e frescor de Chardonnay juntos a expressão aromática de Muscat.


Jean-Claude Boisset transformou-se radicalmente com a chegada em 2002 do vinicultor Grégory Patriat, um dos melhores viticultores / produtores de vinho de sua geração na Borgonha. Grégory passou os três anos anteriores a trabalhar nas vinhas de Domaine Leroy e ainda gasta uma grande parte do seu tempo nas vinhas, pagando aos seus cultivadores o hectare para garantir baixos rendimentos. Ele também prefere trabalhar com cultivadores orgânicos, pois descobre que produzem frutos melhores. Ao contrário de outros négociants de Borgonha, Grégory especializa-se em fazer vinhos de 'lieu-dits' ou pequenas parcelas de videiras, algo que explica a produção limitada da maioria dos seus vinhos.